Ferramentas Pessoais

Especiais

Arquitetura verde

por Portal Brasil

Projeto de moradia popular propõe uso ecológico de materiais e soluções inteligentes para a otimização de recursos naturais

Uma das atividades humanas que mais impactos causa ao meio ambiente é a construção civil. Nos países desenvolvidos, por exemplo, toda a cadeia produtiva do setor é responsável pela emissão de mais da metade dos gases do efeito estufa, sem contar o alto consumo de energia elétrica. 

Mas nos últimos anos, o conceito de arquitetura sustentável ganhou força. Um projeto de construção consciente leva em conta não apenas o uso prático do espaço, mas também a redução do impacto no meio ambiente. 

Eficiência energética, minimização e redução dos resíduos, estudo do solo no entorno e o emprego de materiais certificados e renováveis são alguns dos quesitos que um projeto deve respeitar para ser classificado como sustentável. Este é o caso do projeto de moradia popular desenvolvido pelos professores Oswaldo Luiz de Souza e Alice de Barros Horizonte Brasileira, ambos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e que tem apoio de empresas nacionais de cimento.

Casa sustentável
Entre 300 e 400 mil casas do programa Minha Casa, Minha Vida foram equipadas com sistema de aquecimento solar e piso de cerâmica. Crédito: Rodrigo Nunes/MinCidades


Com 46 metros quadrados, a casa leva cerca de 60 dias para ficar pronta. Edificada com um sistema de alvenaria, elimina o uso das vigas e gera uma substancial economia durante a execução.

Neste projeto, o uso inteligente dos materiais começa no solo, cujo revestimento, um tipo de bloco intertravado (ou encaixado), permite o escoamento das águas das chuvas e aumenta a permeabilidade do terreno. A água da chuva, aliás, pode ser inteiramente reaproveitada para as descargas do banheiro e da área de serviço por meio de uma caixa d’água exclusiva para essa finalidade.

A planta de arquitetura da casa contempla um sistema de aberturas na parede central que permite a circulação de ar e mantém o ambiente fresco. Uma manta de polietileno aplicada ao telhado complementa o projeto térmico da casa popular. O material, além de atuar como um poderoso isolante, protege a residência da umidade e infiltrações. 

A casa também propõe soluções para a gestão inteligente e sustentável dos resíduos. Um coletor encaixado na pia da cozinha reúne todo o óleo usado e o despeja em um tanque localizado fora da casa. Nesse mesmo local, cestos de coleta seletiva estimulam a separação adequada e posterior reciclagem do lixo.

Outro projeto de construção que tem apostado em sustentabilidade é o Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. Entre 300 mil e 400 mil casas da segunda fase do programa foram equipadas com sistema de aquecimento solar e piso de cerâmica em todos os ambientes da casa. Isso irá gerar redução do custo de manutenção, sustentabilidade ambiental e valorizar os imóveis.

 O Governo também tem estimulado o reuso de água entre os moradores, embora o sistema de reaproveitamento ainda não seja obrigatório nos projetos das casas.

Fontes:
Ministério do Meio Ambiente   
Ministério das Cidades
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)